Caixa de pássaros – Josh Malerman

O homem é a criatura que ele teme.

Uma espécie de epidemia acomete o mundo todo. Aparentemente, ao ver alguma coisa, as pessoas tiram a própria vida de forma brutal. Os jornais noticiam mortes e mais mortes todos os dias, mas ninguém sabe o que está causando esses suicídios em massa. Os sobreviventes passam a viver com medo e seguindo uma única regra: não abrir os olhos.

O livro narra a história de Malorie, uma jovem que descobre estar grávida em meio a todo esse caos. Ao se ver sozinha, depois de perder todos que conhece, ela se junta às poucas pessoas que parecem ter sobrevivido, com quem divide uma casa e os planos de seguir em frente.

A maior parte do livro se passa dentro dessa casa, que está, praticamente, isolada do mundo exterior. Portas e janelas são todas cobertas por panos e lençóis e só se pode abrir os olhos lá dentro. Nos poucos momentos em que saem de casa, como quando têm que ir buscar água no poço, os moradores precisam ir vendados.

Se o problema é a visão, talvez a gente só precise alterar nosso modo de ver. Ou mudar a maneira física como enxergamos alguma coisa.

Os capítulos se dividem em dois períodos: a época em que esses acontecimentos estranhos começaram a ocorrer e a vida de Malorie com os filhos, quatro anos depois. Sim, eu disse filhoS. Como desgraça pouca é bobagem, ela tem que cuidar de duas crianças.

As crianças são treinadas, desde o nascimento, para enfrentar aquilo que não podem ver. De tanto serem privados da visão, obrigados a fazer tudo enquanto estão vendados, os dois desenvolvem uma audição aguçada, conseguindo saber, sem olhar, se a mãe está séria ou esboçando um sorriso.

Como pode esperar que seus filhos sonhem em chegar às estrelas se não podem erguer a cabeça e olhar para elas? Malorie não sabe a resposta.

Quando as crianças estão com quatro anos de idade e Malorie acha que elas estão treinadas o suficiente para sair de casa, a protagonista decide embarcar em uma viagem assustadora em busca de uma saída.

Eu devorei esse livro como há muito tempo não devorava uma história. Li super-rápido, fiquei super tensa e cheguei a ficar com medinho de dormir logo depois de ler. Gostei realmente do desenvolvimento da obra; até a explicação do título é interessante. E, embora a construção dos outros personagens não seja tão boa quanto a da protagonista, a visão dela sobre as coisas te deixa suficientemente intrigado e morto de curiosidade para saber o que diabos está acontecendo no mundo. Mas é justamente esse o problema: não tem explicação.

Confesso que nunca fiquei tão decepcionada com um livro e tão descontente com um final, que considero até previsível. Me senti incompleta! Talvez a obra até merecesse uma continuação, mas Josh Malerman resolveu parar por aí, com seu desfecho pífio – e olha que esse foi seu primeiro livro. Porém, opinião é uma coisa pessoal, não é mesmo?! Portanto, acho a leitura sempre válida, para que cada um possa tirar as próprias conclusões. Só não digam que não avisei…

Taurina, jornalista, casada com o Xu e mãe de um poodle preto chamado Bruce (Wayne). Poderia viver eternamente de doces e livros.

7 Comment

  1. Gostei da história como um todo, o suspense é bem trabalhado, mas concordo com você sobre o final :/

    1. E eu concordo com vc rs
      Achei o desenvolvimento muito bom, prendeu muito minha atenção, mas poxa… Esperava muito mais desse final!

    2. Talvez seja intencional, uma lição de vida haha mas valeu a pena

    3. Sim, muita gente viu assim! E sempre vale a pena haha

  2. Nossa, é bem isso! A história é maravilhosa, mas o final é decepcionante. Nós ficamos sem explicação alguma, parece que ele fez um final sem ter planejado um fim, porque acaba de uma forma inesperada. Uma observação: Malorie não teve gêmeos, a menina é filha de Olympia. Adorei a resenha 🙂

    1. Camila, é verdade! hahaha Li o livro há um tempinho e tinha me esquecido desse detalhe importante. Até tirei a palavra gêmeos do texto! shame on me.
      E sim, me parece mesmo que ele não sabia como terminar, foi lá e enfiou esse final goela abaixo dos leitores, infelizmente… poderia ter sido um livro muito bom!
      Obrigada pela visita 😉

  3. Eu não li “Caixa de pássaros”, eu simplesmente devorei o livro. Comecei a leitura e, realmente, só consegui deixar o livro de lado quando eu terminei de acompanhar a história. Concordo contigo sobre o que disse na resenha… há uma ar de horror e suspense em todo o drama, mas “Caixa de pássaros” termina e deixa muitas perguntas sem respostas.

Deixe uma resposta