Clube da Luta – Chuck Palahniuk

Editora Leya, 272 páginas
Compre aqui: Clube da Luta

A primeira regra do clube da luta é que você não fala sobre o clube da luta.

Desculpa, Tyler. Vou ter que quebrar a regra. Espero que macacos espaciais não venham atrás de mim!

A maioria de vocês já deve ter visto o famoso filme, que tem Brad Pitt e Edward Norton no elenco. Mas quem aí leu o livro ‘Clube da Luta’?

A história é sobre um jovem que, apesar de ter um bom emprego e boa renda, se mostra insatisfeito com a vida. Ele sofre de insônia e tenta extravasar essa frustração em grupos de apoio a pessoas com doenças, como câncer terminal, parasitas cerebrais etc. De certa forma, sabendo como a vida das outras pessoas é ruim, ele se sente melhor.

Até que esse jovem – o tempo todo sem nome – conhece Tyler Durden, o criador do Clube da Luta. Essa se torna a melhor forma de aliviar todas as tensões. Os participantes se reúnem de madrugada em porões, onde acreditam viver fora dos limites da sociedade.  Eles respeitam apenas as regras do clube. É aí que todas as reviravoltas começam e você sente que algo está errado, mas nem desconfia do final. Isso é o melhor da história, a surpresa!

Não vou mentir, não é uma leitura fácil. A narrativa é não linear, então você precisa estar atento à leitura o tempo todo ou perde detalhes e conexões importantes. Mas nem por isso deixa de ser muito interessante. O autor demonstra saber muito sobre diversos assuntos, como ciência e religião, e coloca isso muito bem no livro.

Mas a real intenção da história, na minha visão, é discutir sobre o propósito da vida humana. Indiretamente, ele faz a gente pensar sobre as perguntas “Pra onde vamos?” e “Por que estamos aqui?”. O livro fala do apego às coisas materiais, da vida ditada pelo consumismo, da busca pela corpo perfeito…  Mas não de uma forma chata. E sim de uma maneira irônica, sarcástica e até engraçada. A leitura vale a pena!

Você compra móveis. E pensa, este é o último sofá que vou comprar na vida. Você compra o sofá, e fica satisfeito durante uns dois anos porque, aconteça o que acontecer, ao menos a parte de ter um sofá já foi resolvida. Depois precisa do aparelho de jantar certo. Depois da cama perfeita. De cortinas. E do tapete. Então você fica prisioneiro em seu belo ninho e as coisas que costumavam ser suas agora mandam em você.

Veja o trailer do filme:

Taurina, jornalista, casada com o Xu e mãe de um poodle preto chamado Bruce (Wayne). Poderia viver eternamente de doces e livros.

Deixe uma resposta