Diversidade literária: Flip 2017

O famoso Festival Literário Internacional de Paraty vem aí e a programação completa já está disponível. Mas, diferentemente dos anos anteriores, a 15ª edição da Flip, que acontece de 26 a 30 de julho, vai abrir espaço para a diversidade, apresentando autores e editoras menos conhecidas do público.

Pela primeira vez, o número de autoras mulheres ultrapassa o de homens: elas são 24; eles 22. Além disso, 30% dos autores e autoras convidados são negros. Entre os destaques do evento estão o jamaicano Marlon James e o americano Paul Beatty, vencedores do Man Booker Prize, o principal prêmio da literatura britânica.

Estarão presentes também a ruandesa Scholastique Mukasonga, conhecida por sua obra que reflete sobre o genocídio de Ruanda; Frederico Lourenço, autor de romances e de traduções de clássicos como Odisseia e Ilíada, de Homero; a jornalista espanhola Pilar del Rio, presidente da fundação José Saramago e viúva do escritor português; o jornalista americano e vencedor do Pulitzer William Finnegan, que cobriu conflitos na África; entre outros.

Homenagem

O homenageado da vez será o carioca Lima Barreto (1881-1922), conhecido pelo clássico Triste fim de Policarpo Quaresma e por suas críticas sociais e políticas ao Rio de Janeiro e ao Brasil.

Na sessão de abertura, que acontece no dia 26 de julho, às 19h15, o ator Lázaro Ramos interpretará textos do escritor. A leitura faz parte de uma apresentação criada pela historiadora Lilia Schwarcz – que em junho lança a biografia Lima Barreto, triste visionário –, com direção de cena de Felipe Hirsch.

Lima Barreto também será discutido em outras três mesas: uma sobre sua importância para a literatura, uma sobre as peculiaridades da sua linguagem e uma terceira a respeito das discussões urbanísticas presentes em sua obra. De forma indireta, o autor ainda aparece em outras cinco mesas.

Novidades

Este ano, não haverá a Tenda Principal, onde costumavam acontecer os debates. A programação será realizada na Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios. A única tenda da Flip será a do Telão, que ganhará um aumento de 200 para 700 lugares.

Vale lembrar que Paraty tem uma grande variedade de atrações para os turistas, que, além de participarem da feira literária, poderão aproveitar o passeio para conhecer um pouco da história do período colonial brasileiro.

A programação completa da Flip pode ser conferida no site do evento.

Ficou com vontade, mas não vai conseguir participar da Flip? Não se preocupe! Outros festivais literários acontecerão ao longo desse ano em diversas regiões do Brasil. Veja aqui alguns eventos que (quem sabe) podem ocorrer mais perto de você!

Taurina, jornalista, casada com o Xu e mãe de um poodle preto chamado Bruce (Wayne). Poderia viver eternamente de doces e livros.

Deixe uma resposta