Eu sou fã de sick-lit, e você?

No próximo dia 31, estreia na Netflix a série Os 13 porquês, que tem produção assinada pela atriz e cantora Selena Gomez e é baseado em um livro homônimo escrito por Jay Asher, publicado em 2007. Já em junho, estreia o longa Tudo e todas as coisas, uma adaptação do livro de mesmo nome, da autora Nicola Yoon, lançado ano passado. E ainda este ano, deve chegar às telonas o filme Extraordinário, baseado na obra homônima de J. R. Palacio, que foi publicada pela primeira vez em 2013.

Agora me diga, o que todos esses livros têm em comum?

Talvez você não saiba, mas eles fazem parte de um gênero literário que surgiu recentemente e que (como podem ver pelas informações apresentadas acima) tem feito muito sucesso . É o sick-lit – sick, que significa doença e lit, que se refere à literatura – ou seja, literatura de doença ou literatura enferma. O termo é auto explicativo: trata-se de livros que falam sobre doenças ou pessoas acometidas por elas.

Em geral, as obras desse gênero abordam temas como transtornos alimentares, depressão, suicídio, câncer, entre outras doenças físicas e psicológicas, abrindo espaço para a reflexão sobre a vida e a morte. É claro que muitos livros antigos, até clássicos, já trouxeram essas questões à tona, mas a novidade é que elas caíram no gosto do leitor! Parece que personagens com problemas reais resolveram tomar o lugar dos vampiros e outros seres fantasiosos, atraindo a atenção das editoras.

Logo que surgiu, em meados de 2013, o termo levantou polêmica. De um lado, os que acreditam que tratar de temas como o suicídio na literatura pode exercer alguma influência negativa sobre os adolescentes; de outro, os defensores de que é importante falar sobre essas questões e fazer os adolescentes refletirem sobre os problemas contemporâneos, para que consigam lidar com eles mais facilmente. Eu estou do lado dos defensores do sick-lit. Veja só a lista de sucessos que fazem parte desse gênero literário:

Um amor para recordar – Nicholas Sparks

Um dos primeiros livros da contemporaneidade a falar sobre doença e morte foi Um amor para recordar, do queridinho Nicholas Sparks, publicado em 1999. A obra conta a história de Jamie Sullivan, uma jovem muito comportada e religiosa, filha do pastor da cidade. Por um acaso do destino, Landon Carter, um badboy, a chama para o baile da escola e, a partir daí, os dois se apaixonam. O problema é que ela tem leucemia e seus dias de vida estão contados. O que acontece nesse meio tempo nos mostra que o amor verdadeiro “tudo crê, tudo suporta”. O livro se tornou, rapidamente, um sucesso mundial e, em 2002, foi adaptado para o cinema.

A culpa é das estrelas – John Green

Outro sick-lit de muito sucesso é A culpa é das estrelas, lançado em 2012. O livro nos apresenta Hazel, uma garota de 16 anos que foi diagnosticada com câncer terminal aos 13 e sobrevive graças a uma droga revolucionária que impede a metástase em seus pulmões. Ela tem uma rotina normal, sem grandes emoções, até que conhece Augustus Waters, um jovem de 17 anos que perdeu uma das pernas também devido ao câncer. Os dois se apaixonam e enfrentam a doença juntos, entre recaídas e aventuras. A história do casal é emocionante, inspiradora e até mesmo divertida, nos mostrando a alegria e a tragédia que é viver e amar. A obra foi adaptada para o cinema em 2014 e fez tanto sucesso quanto o livro.

Extraordinário – R. J. Palacio

Publicado em 2013, Extraordinário é um livro simples, mas com uma história emocionante e uma mensagem belíssima sobre gentileza. Auggie Pullman nasceu com uma síndrome genética rara que lhe causou uma deformidade facial e outras complicações de saúde. Por isso, ele já enfrentou todo o tipo de cirurgia e intervenção médica. Aos 10 anos, porém, Auggie se vê diante do maior desafio da sua vida: a escola. E é surpreendente como, nesse processo, ele não procura a aceitação dos outros, e sim se aceitar e se amar como é. Nós já fizemos resenha sobre essa obra, leia! O livro também está sendo adaptado para os cinemas e chegará às telonas norte-americanos em novembro desse ano, ainda sem data de estreia no Brasil. No filme, Auggie será vivido por Jacob Tremblay e sua mãe será interpretada por ninguém menos que Julia Roberts.

Tudo e todas as coisas – Nicola Yoon

Esse é meu queridinho. Simplesmente amei esse livro! A obra é narrada por Madeline Whittier, uma garota que é portadora de uma doença chamada Imunodeficiência Combinada Grave ou, resumidamente, IDCG. É também conhecida como “doença da criança na bolha”, porque é justamente isso que acontece: o paciente simplesmente não pode sair de casa. Qualquer contato com o mundo externo pode desencadear uma série de alergias e o resultado disso pode ser fatal. Tudo vai bem até que ela conhece – pela janela do quarto dela – um garoto chamado Oliver, com quem passa a conversar pela internet. No entanto, o que deveria ser apenas um passatempo ou uma simples amizade virtual cresce em proporções descontroladas e desperta em Madeline a vontade de viver, ainda que por pouco tempo. Também fizemos resenha dele, leia! A adaptação cinematográfica desse livro chega em junho aos cinemas brasileiros – não vejo a hora!

Antes que eu vá – Lauren Oliver


Publicado pela primeira vez em 2012, Antes que eu vá foi adaptado para o cinema este ano. A estreia nos Estados Unidos aconteceu há duas semanas e, no Brasil, o filme chega às telonas em maio. O livro conta a história de Samantha Kingston, uma garota que tem tudo: o namorado mais cobiçado do colégio, três amigas fantásticas e uma vida privilegiada. Em uma sexta-feira, 12 de fevereiro, ela morre em um acidente de carro. Porém, Samantha recebe uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. Ela revive seu último dia de vida repetidas vezes e suas ações geram um efeito borboleta que não afetam apenas o seu destino, mas o de todos à sua volta. Desse modo, ela vai descobrir, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

Os 13 porquês – Jay Asher

Os 13 porquês foi publicado em 2007, mas confesso que só ouvi falar desse livro este ano, porque ele vai virar uma série da Netflix, com estreia em 31 de março! A obra nos apresenta Clay Jensen, que, ao voltar da escola, encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles e ele precisa ouvir tudo o que ela tem a dizer para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento. Quero muito ver a série, mas ainda não li o livro! Considerando que meu aniversário é mês que vem… fica a dica, gente!

E aí, descobriu que também é um fã de sick-lit? Algum livro que você gosta não está na lista? Conta pra gente!
Taurina, jornalista, casada com o Xu e mãe de um poodle preto chamado Bruce (Wayne). Poderia viver eternamente de doces e livros.

2 Comment

  1. E minha lista só aumenta! Rsrs
    Ótimo post!!!

    1. A minha também! Ainda não li “Antes que eu vá” nem “Os 13 porquês”, mas quero muito!!! Urgente kkk

Deixe uma resposta