Extraordinário – R. J. Palacio

Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.

Confesso que li a sinopse e pensei: “deve ser uma boa história sobre bullying e intolerância”.

Me enganei… feio.

É uma boa história sobre gentileza.

Auggie Pullman nasceu com uma síndrome genética rara que lhe causou uma deformidade facial e outras complicações de saúde. Por isso, ele já enfrentou todo o tipo de cirurgia e intervenção médica. Aos 10 anos, porém, ele se vê diante do maior desafio da sua vida: a escola.

Até então, Auggie havia sido educado em casa, pela mãe. Aliás, ele vive numa família unida e amável. A mãe é guerreira e corajosa, sem perder a doçura. O pai é atencioso e consegue arrancar sorrisos mesmo nas situações mais adversas. A irmã, Via, é o porto seguro de Auggie. É sensível, compreensiva e a maior defensora do irmão.

Não, não é tudo um acaso. Se fosse, o universo nos abandonaria à própria sorte. E o universo não faz isso. Ele cuida das suas criações mais frágeis de formas que não vemos.

E ainda tem a cadela Daisy, a única que nunca o enxergou diferente. Todas as pessoas, ainda que se esforcem ao máximo para disfarçar, já demonstraram espanto ou horror ao olhar para o menino. Auggie está tão acostumado que, ainda que esse olhar dure milésimos de segundo, ele consegue captar. Já nós, leitores, enxergamos Auggie à nossa própria maneira. Há uma ou outra descrição do rosto dele mas, no geral, a autora te deixa livre pra imaginar.

O que R. J. Palacio não esconde é a personalidade de Auggie. Não pense você que essa deformidade no rosto interfere, de alguma forma, no intelecto da criança. Auggie é extremamente inteligente, engraçado, honesto e leal. Foi assim que ele conquistou, de graça, a amizade de duas pessoas: Jack Will e Summer – e que garotinha especial, vocês vão ver!

Mas, a princípio, são dois amigos num universo recheado de pessoas preconceituosas, intolerantes ou mesmo que não tomam partido. E se não é fácil para qualquer estudante novo, imagine para um que foge dos padrões que sabe-se lá Deus quem impôs! Chega a um ponto em que os alunos evitam encostar no colega por receio de ser contagiado pela “praga”.

O importante, nesse processo, é que Auggie não procura a aceitação dos outros. Mas sim, se aceitar e se amar como é. O crescimento e amadurecimento dele são visíveis ao longo da história. Outros personagens também nos ajudam a perceber essa evolução ao assumirem a narrativa. Cada parte do livro é contada por alguém do círculo de vivência de Auggie – Via, Summer, Jack, Justin, Miranda… que concordam num ponto: Auggie é mesmo um garoto extraordinário!

capa-extraordinario_frente

E como eu já contei aqui, a história vai virar filme, com Jacob Tremblay (O quarto de Jack) no papel de Auggie. Clique para ver a primeira imagem do longa. Vale a pena!

Taurina, jornalista, casada com o Xu e mãe de um poodle preto chamado Bruce (Wayne). Poderia viver eternamente de doces e livros.

Deixe uma resposta